Como fazer divórcio amigável com filhos

divórcio amigável com filhos

Divórcio amigável com filhos entenda tudo sobre o temaO divórcio é algo que afeta não somente o casal, mas também os amigos, familiares e filhos.

Sabemos que o rompimento de um laço matrimonial é algo muito triste para as crianças. Elas se veem obrigadas a conviver em um ambiente diferente. Longe do pai ou da mãe, o que vai depender da situação de guarda, e do tipo de divórcio.

Neste sentido, encontrar maneiras mais leves de tratar este assunto tão delicado, permitem que as crianças passem por esta experiência sem que carreguem tantos traumas. Por isso, o divórcio amigável com filhos é de suma importância para o convívio social dos pais e da criança. Afinal de contas, o casamento acabou, mas os filhos são para sempre.

 

Divórcio amigável com filhos

 

Se existe uma solução para os conflitos incessantes de um casal, esta, se dá por meio do divórcio. É através dele que o sofrimento, brigas e discussões inacabáveis tem um fim. Porém, uma ruptura drástica de uma família pode causar danos irreversíveis a uma criança.

Neste sentido que o casal precisa olhar, como cuidar dos filhos após a separação e como cuidá-los dentro deste processo.Para que se torne um divórcio amigável com filhos.

É importante ressaltar que os filhos, dentro de uma situação de divórcio poderão ter sequelas, que prejudicam tanto o desempenho escolar, como a vida social, além do desenvolvimento da adolescência, podendo ainda, trazer à criança doenças como depressões e transtornos de ansiedade.

Mas então, o que fazer para que os filhos não sofram as consequências desta decisão?

Fazer um divórcio amigável com filhos é possível.

 

Não discuta sobre o divórcio perante as crianças

 

Vocês decidiram que vão se separar. Por mais triste e sofrível que seja esta decisão, e mesmo que as causas para esta tenham sido extremas. Lembre-se, este é um problema conjugal, que não diz respeito aos seus filhos.

Para a realização de um divórcio amigável com filhos é preciso que eles sejam preservados das discussões sobre o divórcio, assim como os trâmites e ações legais, partilhas de bens e guarda. Nada disso deve fazer parte do ambiente das crianças.

Estudos apontam que, ao se discutir o término de uma relação na frente dos filhos tendem a fazer com que eles se sintam responsáveis pela ruptura do casal.  E se sintam culpados por isso.

O ideal é conversar separadamente com eles. Sempre ressaltando que muitas vezes as pessoas não são mais felizes juntas e por isso, precisam estar separadas para que isso aconteça. Mas que o amor pelos filhos não será diminuído de forma alguma e que eles não são responsáveis pelo fim da relação.

É válido ressaltar, o cuidado com a inserção de novos companheiros dentro do ambiente familiar, que devem ser meticulosas e calculadas. É preciso, primeiramente entender que a relação dos pais teve fim. Para que depois entendam que eles merecem ser felizes com outras pessoas. Mas tudo isso leva algum tempo, e nesse período a criança está se readaptando a um outro estilo de vida.

 

Não fale mal de seu ex companheiro para seus filhos

 

Outro erro que muitas pessoas cometem é falar mal do ex. Tudo bem, isso é natural do ser humano, mas se você quer ter um divórcio amigável  é preciso entender que não se deve. Por mais que você tenha convicções do caráter duvidoso de seu companheiro (a) falar mal dele para seus filhos. Isso além de ser muito desagradável, consiste em “alienação parental”, passível de processo pela parte ofendida caso se prove a veracidade dos fatos.

Portanto, em um divórcio amigável com filhos é preciso “engolir o orgulho” a fim de preservar a felicidade de suas filhos.

 

Não utilizar seus filhos para chantagear seu ex-companheiro

 

Muitas pessoas, ao terminarem seus relacionamentos, tentam atingir a outra pessoa de qualquer forma, e muitas vezes, utilizam os filhos para isso. Entenda, seus filhos não devem ser o alvo de uma decisão do casal.

Para realizar um divórcio amigável com filhos é preciso entender, que todo o cuidado deve ser voltado a eles. Por isso, nada de privá-los da visita de seu ex-companheiro (a) ( a menos que por determinação judicial) só para que ele possa ser atingido. Ao privá-los do contato com um dos pais, a possibilidade de um trauma para a criança é bem maior, e os danos podem custar uma vida toda para serem reparados.

 

Não se afastar de seus filhos por conta do divórcio

 

Se existem aqueles que utilizam os filhos para atingir o ex-companheiro. Também existem aquelas pessoas, que acredita que pelo fato de terem se divorciado, não tem mais obrigações para com os filhos. Ou pior, acreditam que pelo fato de, muitas vezes pagarem pensão alimentícia, a carência de amor está sendo suprida.

Este é um grande erro que muitos pais cometem, é como se estivessem penalizando a criança pela separação. A frase “agora que não sou mais casado, não tenho mais obrigações com você “ acaba sendo presente em muito casos.

Em um divórcio amigável  a obrigação de cria-los e educa-los ainda continua sendo das duas partes. Mesmo que os filhos morem em apenas uma casa, a obrigação da outra parte é a mesma.

A criação não consiste apenas em passeios no fim de semana, ou que seus filhos fiquem com você apenas uma vez ao mês. Ela consiste em saber das notas, do que está acontecendo em seu ambiente escolar, na sua vida,  desejos, medos. Onde a criança pode estar errando e no que deve ser investido nela.

Divórcio amigável com filhos consiste em saber que as responsabilidades não diminuem apenas porque não se vive na mesma casa. Pelo contrário, elas aumentam, é necessário suprir constantemente essa carência que foi deixada pela ruptura, evitando maiores transtornos futuros.

 

Diálogo sempre

 

O diálogo é uma peça fundamental em um divórcio amigável com filhos é preciso entender que vocês já não são mais um casal. Mas tem obrigações e algo em comum que sãos os filhos.

Você não precisa ser o melhor amigo de seu ex-companheiro (a), apesar de existirem muitos casos assim. Mas será necessário um relacionamento de diálogo e respeito no que diz respeito às questões do seu filho. Desta maneira, é preciso ter educação, compostura e equilíbrio para saber lidar com as diversas questões que surgirão ao longo da vida de um casal divorciado com filhos.

O diálogo com os filhos também é muito importante. Sendo de suma importância ressaltar os valores de boa convivência de uma relação. Assim como, o de respeito mútuo.

Conclusão

 

O divórcio não é uma decisão fácil a ser tomada pelo casal, que muitas vezes está desgastado e muito ferido. Porém, em uma relação de divórcio amigável com filhos é importante que ambos entendam que o respeito mútuo e o diálogo deverão fazer parte de uma rotina.

Os filhos dependem dos pais para um crescimento sadio, e precisam que estes saibam lidar com as questões da separação de forma adulta. Consciente mostrando que é possível ser feliz após o divórcio e que o respeito deve fazer parte de qualquer relação.

Lembre-se, os filhos são um presente que só conseguimos através da contribuição do outro. Então, porque não fazer desse um pensamento que traga o respeito necessário para um divórcio sem brigas judiciais.

Deixe uma resposta