You are currently viewing 10 coisas importantes de se avaliar antes de terminar um casamento

10 coisas importantes de se avaliar antes de terminar um casamento

Ninguém em sã consciência casa pensando no término de seu casamento, não é mesmo? Porém, nem sempre as coisas saem como planejado e a convivência acaba se tornando complicada ou até mesmo insuportável.

Além disso, tomar a decisão de se divorciar pode ser muito difícil, seja porque ainda existe sentimento, porque você não quer magoar o outro ou porque você não gostaria de ficar sozinha.

Sem falar no conflito. Esse pode ser o fator mais desgastante no término de um casamento. Nem todos querem agir como adultos e terminar um ciclo de forma consensual e sem rancores.

Pensando nisso, analisamos 10 coisas importantes para se avaliar antes de terminar um casamento. Continue lendo esse artigo e reveja qual a melhor decisão para você tomar diante da sua situação.

1. Preço elevado do divórcio

A primeira coisa a se pensar é no preço. Divórcios tendem a ter um valor extremamente elevado, além de serem muito dolorosos, demorados e burocráticos.

Foi pensando nessa dor que a plataforma Divórcio Consensual desenvolveu uma forma rápida, segura e menos burocrática para resolver essa situação.  

Assim, você não estará sozinha nesse momento tão difícil. A escolha do profissional adequado para cuidar de seu caso e que vai lhe proporcionar o menor sofrimento possível, é o ponto principal.

Mas vamos pensar também em outros pontos chaves a se avaliar antes de pensar no término do casamento.

2. Guarda dos filhos ou tutela dos Pets

Vale lembrar que nossa sociedade vem evoluindo e o animal de estimação tem ganhado cada vez mais notoriedade no espaço jurídico, transformando-se em uma verdadeira entidade familiar e, portanto, passível de se decidir sobre a tutela deles. 

Dessa forma cabe aqui a pergunta: Vocês possuem filhos ou animais de estimação? Já estão de acordo sobre como vão definir a guarda ou a tutela dos pets?

Esses questionamentos são importantes e devem ser deixados às claras no momento de uma separação, porque um divórcio litigioso só vai lhe causar ainda maiores sofrimentos.

Além disso, entregar para um juiz a decisão sobre sua própria prole ou seus peludos é algo que só irá martirizar ainda mais o casal já tão magoado.

Provavelmente optar por uma mediação online seja o método mais eficaz para ajudar na solução desse conflito e inibidor de conflitos que podem ser facilmente resolvidos. 

3. A tão temida partilha de bens

São tantos patrimônios construídos juntos, tantos bens comprados durante uma vida. Tem certeza de que o término do casamento é o melhor caminho?

Na partilha de bens, a depender do regime de comunhão adotado pelo casal, os bens deverão ser divididos entre si e, talvez, o imóvel do casal também tenha que ser desfeito. 

Então, esse sempre é um momento extremamente delicado, porém essencial para que o casal consiga reorganizar suas finanças e se reerguer após a separação.

O ponto importante a se pensar no divórcio é a garantia de que seu marido e você consiga recomeçar suas vidas com a partilha de modo correto. Por isso é tão importante encontrar um profissional competente para tanto. 

Cabe aqui avaliar se a decisão da separação é realmente a ideal ou se não foi uma decisão momentânea.

4. Ainda existe amor?

Esse deve ser um ponto chave: O amor ainda existe? Vale a pena jogar fora tudo o que já foi vivido? Você ainda consegue lembrar daquela primeira vez em que se beijaram? O que fazer para melhorar?

Às vezes os casais não valorizam a conversa adequada ou a terapia que poderia reencontrar o amor que se perdeu diante dos conflitos do casamento.

Mas se o sentimento ainda existe, não seria ideal deixar algum profissional fazer vocês relembrarem onde se perderam, curar as feridas e retornar ao bem-estar?

Um sentimento propulsor de um casamento não é algo que se esvai do dia para a noite. Então antes de chegar a um momento completo de exaustão, vale a pena regar mais um pouco esse sentimento.

5. Seu parceiro lhe desvaloriza?

Se seu parceiro lhe desvaloriza não há mais nem o que se pensar. Você, uma mulher forte e independente, deve estar com alguém que lhe valorize sempre e cada dia mais.

Se você sofre ou sofreu algum abuso ou violência doméstica, agendar uma consulta com um especialista deve ser o seu primeiro passo.

Mas se você casou com alguém que sempre lhe valorizou, sempre lhe respeitou, porque não relembrar disso? Pode ser que ainda haja esperanças em seu matrimônio.

Além disso, o diálogo é, antes de tudo, a melhor saída. Uma conversa amigável, de adultos, para trabalhar juntos e entender questões importantes para o funcionamento saudável da relação, pode ser uma opção.

Valorizar para ser valorizado, é um mantra que deve ser mantido em toda e qualquer relação, não apenas na conjugal, mas também entre seus amigos e familiares. 

6. Aprenda a ouvir o outro

Pode ser até bobo falar sobre isso, não é mesmo? Mas muitas vezes apenas não paramos para ouvir o outro. Preferimos ignorar suas palavras a lhe ouvir de fato. 

Mesmo que haja desacordo ou o tom de voz esteja estridente, o que o outro tem a dizer ainda é importante. Quem sabe essa não seja a chave para a solução?

Talvez o minimizar o problema do outro tenha sido o ponto inicial para a destruição daquela relação. Não vire as costas, tente ouvir até o final e compreender o real significado daquela discussão, daquelas palavras.

Desde que haja vontade, ouvir é uma tarefa fácil. As memórias do carinho podem ser reconstruídas e fazer com que o outro passe a lhe ouvir mais, lhe compreender mais e vice-versa.

7. Estou muito brava ou realmente quero terminar?

Às vezes a mágoa toma de conta do nosso raciocínio. Nossas decisões acabam se baseando em formas de punição e não mais de solução. O sentimento de carinho e amor é superado pela raiva e pelo rancor. 

Por isso, trabalhar essa raiva, seja através de uma conversa entre amigos, seja através de um profissional adequado, pode ser um grande passo para salvar seu relacionamento. 

Apontar o dedo, culpar o outro é um jogo de poder e não de conciliação. O casal tem muito mais a ganhar ao assumir a responsabilidade e dando sua contribuição individual para o relacionamento, do que ficar apontando o erro alheio. 

Compaixão e empatia sempre devem ser os sentimentos essenciais na vida do casal. Serão eles que farão a diferença para evitar um rompimento. Então, não os deixe morrer.

8. Já chegaram a conversar sobre os problemas?

Conversar, assim como ouvir, são os principais métodos para evitar um término de casamento. 

Há certos momentos em que a hostilidade e as brigas tomaram conta da vida do casal. Não são mais discussões por motivos plausíveis, agora elas já giram em torno dos motivos mais bobos possíveis.

Então, a melhor forma para lidar com esse problema seria relembrar os bons momentos, conversar sobre o início, lembrar o porquê você começou a amar seu cônjuge.

Você vai sentir como essa tensão imediatamente vai embora, olhar para o outro com a sensação de que é apenas uma fase difícil, que há meios de superar e evitar o divórcio. Essa pode ser a solução para evitar o término. 

9. Desconstrução do seu círculo social

Nem todo mundo é apaixonado por sua sogra, não é mesmo? Mas para alguns ela se torna verdadeiramente uma segunda mãe. 

A separação pode acabar desvinculando essa pessoa de seu círculo social. E não só ela. São amigos, famílias, todo um círculo que será rompido com o divórcio. Principalmente se for um divórcio litigioso, recheado de conflitos e mágoas. 

Pondere situações e pessoas, talvez não seja apenas o seu cônjuge que você perderá, mas todo um círculo de amigos. Uma reconciliação realmente não vale a pena nesse aspecto?

Se não houver soluções para a reintegração do relacionamento, evite pelo menos o litígio, torne-o consensual, para apaziguar ao máximo toda essa dor do rompimento. 

10. Você não estará sozinha no término do casamento!

Não se preocupe, sozinha você não estará! O início do rompimento realmente é difícil, a dor machuca e ronda toda a sua rotina por vários dias, mas busque o afeto de seus próximos e por profissionais de direito que lidem com a situação de forma prática e rápida. 

Além disso, tire um tempo para você, para reavaliar o que deu errado na sua relação, assim você estará trabalhando para melhorar a si mesma e o seu amor próprio.

E se mesmo após passar por todas essas etapas, você não enxergar outra solução a não ser o divórcio consensual, então faça agora o teste de elegibilidade para saber se você está apta a se divorciar consensualmente.

A depender da plataforma do Divórcio Consensual, você evita momentos emocionalmente estressantes e o melhor de tudo: no conforto de seu lar.

Gostou desse artigo? Então, não deixe de entrar em nosso site e conhecer melhor a mais completa plataforma de divórcio do país. 

Deixe uma resposta